Auxílio emergencial 2021 tem prazo para ser movimentado; confira

Se o prazo não for atendido, o valor retorna à União

5

Muitas mudanças foram feitas para o acesso à nova rodada do auxílio emergencial 2021. Com um regulamento mais rígido e cotas com valores inferiores aos que foram pagos em 2020, o benefício temporário pago em razão da pandemia pela Covid-19 deixou de atender uma quantidade considerável da população.

Além disso, os inscritos para receber o benefício terão os seus dados avaliados a cada mês que o auxílio for pago. A estratégia é evitar que os valores sejam repassados de forma indevida.

Desse modo, quem deixar de atender aos critérios estabelecidos ficará sem receber as parcelas restantes, mesmo que tenha recebido no mês anterior.

A medida também visa suspender os pagamentos para quem não atender ao prazo determinado pelo governo; isto é, a parcela deverá ser movimentada, caso contrário, o beneficiário não poderá recuperá-la e receber os demais pagamentos.

Auxílio emergencial 2021 tem prazo para ser movimentado; confira
Auxílio emergencial 2021 tem prazo para ser movimentado; confira – Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

Governo estabeleceu prazo para movimentar as parcelas do auxílio emergencial 2021

Engana-se quem acredita que não é necessário sacar ou movimentar as parcelas do auxílio emergencial 2021.

O governo estabeleceu um prazo para que o beneficiário acesse o valor (faça o saque ou movimente por meio do aplicativo Caixa Tem, no qual é possível fazer transferências, compras e pagar contas domésticas), caso ele não cumpra, o valor do benefício retorna para a União.

O prazo é, portanto, de 120 dias; isto é, quatro meses. O período é correspondente à quantidade de meses em que o auxílio será pago.

Dessa forma, mesmo se, por qualquer razão, o beneficiário deixou de sacar a parcela de abril, tem até a finalização do auxílio, julho, para resgatar suas parcelas.

Se cumprir o prazo, o beneficiário poderá sacar todas as parcelas de uma vez só, mas caso isso não aconteça, todo o valor é devolvido sem possibilidade de retorno.

Valor do benefício

No ano passado, o governo pagou cotas de R$ 300, R$ 600 e R$ 1.200. O valor maior sempre foi destinado às mulheres chefes de família.

Em 2021 esse ponto também está sendo atendido. Embora os valores sejam inferiores, as mulheres que são as únicas responsáveis pelo sustento de suas famílias têm direito à cota de maior valor.

Sendo assim, o repasse acontece seguindo a determinação:

  • Pessoas que moram sozinhas – R$ 150;
  • Famílias com mais de uma pessoa – R$ 250;
  • Família monoparental, dirigida por uma mulher – R$ 375.

Veja ainda: PIX do auxílio emergencial 2021: conheça o regulamento e saiba como utilizar

Para conferir mais informações acerca dos Direitos dos Trabalhadores, clique aqui.

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.