Aulas em São Paulo continuarão suspensas por mais dois meses

1

Mais uma mudança na suposta volta das aulas presenciais no estado de São Paulo: de acordo com o governador João Dória (PSDB), a UF já teria condições de permitir a presença dos alunos nas escolas, mas prefere deixá-los no ensino à distância por mais 60 dias, até a primeira semana de outubro.

A novidade, porém, é que algumas dependências das escolas públicas e particulares poderão voltar a funcionar, como as bibliotecas e os laboratórios. Dessa maneira, os gestores escolares deverão estabelecer formas de os alunos, em grupos e sem aglomeração, poderem utilizar essas dependências escolares.

Essa liberação já ajudará bastante aos professores, que relatam dificuldades para a ministração das aulas à distância. Além disso, muitos estudantes declaram que não conseguem aprender de forma efetiva com as aulas em EAD e, por isso, a possibilidade de ir de vez em quando à escola pode ser muito benéfica para a absorção dos conteúdos.

Cabe salientar que, até a atualização de hoje, o governo paulista trabalhava com a possibilidade de as aulas retornarem no começo de setembro.

Essa semana, o prefeito da capital de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) declarou que espera a autorização da Vigilância Sanitária para que as instituições de ensino na cidade voltem a ser abertas. Destaca-se que a Vigilância Sanitária só fornece essa autorização no caso de não haver riscos de contágio pelo coronavírus ou de esse contágio ser bem baixo.

Modificações nas escolas ainda desafiam os gestores em época de pandemia

Mesmo que as escolas realmente abram as portas para aulas presenciais em outubro, existirá a necessidade de fazer mudanças na forma como as instituições de ensino funcionarão: menos alunos, menos funcionários e mais distanciamento.

É um grande desafio fazer um esquema de rodízio entre os alunos de qualquer escola e há o grande medo de os pais e profissionais se contaminarem, tendo as crianças como vetoras.

Para parte da sociedade, inclusive, a ideia mais viável seria “cancelar” o ano letivo de 2020 e as crianças recomeçarem os estudos em 2021.

1 comentário
  1. […] Leia também: retomada das aulas é adiada em São Paulo. […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.