Atividade industrial do Brasil mantém níveis elevados em abril

Levantamento da CNI mostrou aumento das horas trabalhadas e do emprego, mas o faturamento encerrou o mês em queda

0

A atividade industrial do Brasil manteve os níveis elevados em abril deste ano. A saber, este é o segundo mês seguido de resultados positivos para o setor. Pelo menos é o que aponta o levantamento da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgado nesta sexta-feira, dia 11.

Em resumo, as horas trabalhadas na produção tiveram alta de 0,7% em abril, quando comparadas ao mês anterior, que também registrou avanço (1,1%). Por sua vez, o indicador de emprego cresce 0,3% e emendou o nono mês seguido de crescimento.

Além disso, a utilização da capacidade instalada seguiu em nível elevado, em 80,8%. Assim, superou a marca dos 80% pelo segundo mês consecutivo, apesar da queda de 0,3 ponto percentual (p.p.). O faturamento real da indústria de transformação também caiu em abril (-1,3%) em relação ao mês anterior.

“Todo esse movimento, com utilização da capacidade instalada elevada e crescimento constante no emprego, é resultado do rápido crescimento do segundo semestre do ano passado e da resiliência na indústria nos primeiros meses do ano”, destacou o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo.

Os outros dois indicadores são massa salarial real e rendimento médio real. Ambos encerraram abril com crescimento de 1,6%, cada. Com todos estes resultados, dos quais a maioria foi positiva, a atividade industrial do Brasil permaneceu em níveis elevados no quarto mês de 2021.

Confira detalhes da comparação anual e do acumulado em 2021

De acordo com a CNI, todos os componentes pesquisados tiveram crescimento em suas taxas na comparação com abril de 2020. Vale lembrar que a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou a pandemia da Covid-19 em março do ano passado, afetando todo o mundo de maneira muito forte, inclusive o Brasil.

Nessa base comparativa, a utilização da capacidade instalada foi o destaque, com disparada de 66,5 p.p. Em seguida, ficaram o faturamento real (46,3%) e as horas trabalhadas na produção (35,1%). Já os avanços menos intensos vieram dos indicadores de massa salarial real (4,9%), emprego (4,2%) e rendimento médio real (0,7%).

Por fim, os seguintes componentes acumulam crescimento nos quatro primeiros meses de 2021: faturamento real (15,4%), utilização da capacidade instalada (14,3 p.p.), horas trabalhadas (12,4%) e emprego (1,8%). Por outro lado, massa salarial real (-1,0%) e rendimento médio real (-2,7%) acumulam perdas no ano.

Leia Mais: Serviços sobem em 13 das 27 Unidades da Federação em abril

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.