Asma exige cuidados durante pandemia de Covid-19

A inflamação crônica gerada pela asma torna seus portadores parte do grupo de risco durante a pandemia do novo coronavírus.

2

A asma brônquica, popularmente conhecida somente como asma, é uma doença crônica que provoca inflamação nos brônquios. Consequentemente, há um estreitamento dos brônquios, que são responsáveis pela passagem de ar até os pulmões.

Como resultado, o paciente pode sentir falta de ar ou dificuldade para respirar, sensação de aperto ou chiado no peito e tosse. O excesso de muco também é comum. Contudo, esses sintomas tendem a mudar ao longo do dia e durante as diferentes fases da vida.

Em geral, os sintomas surgem mais fortes durante na noite, nas primeiras horas da manhã e durante exercícios físicos. Igualmente, a exposição a poeira, ácaros e fungos, a poluição e as mudanças climáticas repentinas podem desencadear uma crise de asma. Fatores genéticos também podem levar ao surgimento da doença, devido à sua hereditariedade.

De acordo com a Global Initiative for Asthma (GINA), cerca de 300 milhões de pessoas possuem asma em todo o mundo. Além disso, cerca de 250 mil pacientes morrem anualmente em função da doença.

Asma e coronavírus

Em função do comprometimento dos pulmões e da capacidade respiratória causados pela asma, seus portadores fazem parte do grupo de risco para a Covid-19. Porém, apesar de não existir cura para a condição, é possível mantê-la controlada, diminuindo os riscos que uma infecção pela Covid-19 representaria.

Logo, é considerada asma controlada quando a pessoa não sente os sintomas da doença e consegue levar a vida normalmente. A doença é parcialmente controlada quando sente sintomas, porém em menor frequência. Assim, a asma não controlada acontece quando frequentemente o paciente tem que limitar suas atividades em função da dificuldade para respirar ou utilizar medicamentos. Por exemplo, a bombinha para a crise.

O diagnóstico da asma é feito por meio de exames clínicos e da análise do histórico familiar do paciente. Por fim, para controle da doença, é preciso consultar um médico. Ele deverá prescrever alguns medicamentos de uso contínuo que vão ajudar a evitar o surgimento de novas crises.

2 Comentários
  1. […] disso, a queda no nível da poluição pode ajudar portadores de asma, alergias e outras doenças respiratórias, evitando crises. Com essas doenças controladas, as […]

  2. […] sendo transportada pelo corpo. Acima de tudo, esse aparelho e muito utilizado por indivíduos com problemas respiratórios ou […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.