Argentina decreta luto nacional por morte de Diego Maradona

Presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou que o país terá três dias de luto nacional pela morte de Diego Armando Maradona

0

A Argentina está neste momento chorando a morte de Diego Armando Maradona, nesta quarta-feira (25). A morte mexeu não só com o mundo do esporte, mas também com o mundo da política. O presidente Alberto Fernández decretou luto nacional por três dias.

O anúncio do luto nacional aconteceu apenas alguns minutos depois que a imprensa do país cravou a morte da lenda do futebol mundial. Mas além do decreto, o próprio presidente foi ao seu Twitter oficial para lamentar a morte do argentino.

“Você nos levou ao topo do mundo. Você nos fez imensamente felizes. Foi o maior de todos”, afirmou. “Obrigado por ter existido, Diego. Sentiremos sua falta para o resto da vida”, completou o presidente da Argentina em sua rede social.

A vice-presidente, Cristina Kirchner, que também já foi presidente do país, também se manifestou sobre a morte do ex-jogador. “Muita tristeza… Muita. Perdemos um gigante”, tuitou ela. “Adeus Diego, nós te amamos muito. Grande abraço aos seus parentes e entes queridos.”

Vale lembrar que Diego Maradona era assumidamente de esquerda. Ele possuía uma relação de muita proximidade com os políticos progressistas do seu país. Cristina Kirchner, aliás, é uma dessas políticas que faz parte desse grupo de apoio ao Maradona.

Maradona

Mas a fama mundial de Maradona vem mesmo dos gramados. Foi entre as quatro linhas que ele disputou quatro Copas do Mundo. Dessas, ele venceu uma e chegou perto do título em outra. É portanto uma das figuras mais icônicas da história do futebol mundial.

Polêmico, Maradona tinha também um histórico com consumo de drogas. Além disso, ele era famoso também por dizer sempre o que pensava, inclusive sobre os seus colegas de equipes. Por todo o mundo, vários políticos se manifestaram sobre a morte do craque.

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.