Argentina começa vacinação contra a Covid-19

O processo de imunização no país será feito com a vacina russa Sputnik V, que foi uma das aprovadas pelas autoridades de saúde para uso emergencial

4

A Argentina é mais um país a começar a vacinar seus cidadãos contra a Covid-19. O processo de imunização no país começa nesta terça-feira (29) e será feito com a vacina russa Sputnik V, que foi uma das aprovadas pelas autoridades de saúde para uso emergencial.

Leia também: Alemanha: funcionários de lar recebem por engano cinco doses da vacina contra covid

A vacina russa começou a chegar na segunda (28) às províncias do país para que sejam administradas as primeiras doses nesta terça, informou o governo em nota. Em entrevista, o presidente argentino, Alberto Fernández, e os governadores provinciais, disseram que os primeiros a receber as vacinas serão os funcionários da área da saúde.

Ainda de acordo com Alberto Fernández, cerca de 300 mil doses chegaram à Argentina na quinta-feira (24) e as próximas remessas são esperadas para o início de 2021. “A ideia é que quando chegar o outono [no hemisfério sul], teremos um grande número de pessoas dos grupos de risco vacinadas”, disse o chefe do executivo argentino.

Na última quarta-feira (23), a Argentina se tornou o terceiro país a aprovar a vacina Sputnik V, depois da Rússia e da Bielo-Rússia. Além do imunizante russo, Argentina também aprovou a vacina da Pfizer/BioNTech contra a Covid-19.

Covid-19 na Argentina 

O país sul-americano foi duramente atingido pela pandemia de Covid-19, registrando quase 1,6 milhão de casos do vírus e mais de 42 mil mortes pela doença.

Velocidade russa acende sinal de alerta 

Recentemente, alguns cientistas demonstraram preocupação quanto a velocidade com que a Rússia tem trabalhado a favor da Sputnik V. Isso porque eles julgam que tudo tem sido feito de maneira acelerada.

Como exemplo, eles deram o aval regulatório para a vacina e o lançamento das campanhas de imunização em grande escala antes que os testes completos sobre a segurança e eficácia do medicamento tenham sido concluídos. Do outro lado, a Rússia afirma que as críticas são infundadas.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.