Aquisição de couro atinge menor nível para o primeiro trimestre desde 2002

Forte queda de 6,6% em relação ao mesmo período de 2020 acontece por causa da restrição de animais para o abate

0

aquisição de peças de couro pelos curtumes caiu 6,6% no primeiro trimestre de 2021, quando comparada ao mesmo período de 2020. A saber, os curtumes declararam ter recebido 7,07 milhões de peças de couro no período. O nível também ficou abaixo do observado no último trimestre de 2020 (-8,0%).

Em resumo, o que provocou o tombo na aquisição de couro, tanto na comparação trimestral quanto na anual, foi a restrição de animais para o abate. Assim, o volume adquirido pelos curtumes atingiu o menor nível para o primeiro trimestre desde 2002. A propósito, curtumes são os estabelecimentos onde ocorre o processamento do couro cru.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pela Pesquisa Trimestral do Couro, divulgou as informações nesta terça-feira (8). Em suma, o levantamento se iniciou em 1997 e “investiga informações sobre a quantidade de couro cru de bovino adquirida e curtida”, segundo o IBGE.

De acordo com a pesquisa, Mato Grosso continuou na primeira posição do ranking nacional de aquisição de peças de couro. A saber, o estado respondeu por 15,5% da obtenção de couro do país no trimestre. Em seguida, ficaram: Mato Grosso do Sul (13,6%) e Paraná (11,5%), que ultrapassou São Paulo (10,4%) no ranking.

Pico do período aconteceu em março

Além disso, a pesquisa do IBGE mostrou que os maiores recuos vieram dos seguintes estados: Rondônia (-219,15 mil peças), Mato Grosso (-104,60 mil), Goiás (-102,28 mil), São Paulo (-101,51 mil) e Mato Grosso do Sul (-99,35 mil). Na verdade, taxas de 11 das 19 Unidades da Federação com curtumes pesquisados caíram no trimestre.

Por outro lado, entre os poucos avanços no período, os mais expressivos foram registrados pelos estados do Paraná (+131,36 mil) e Rio Grande do Sul (+56,22 mil). No entanto, houve 499,49 mil peças de couro a menos no primeiro trimestre de 2021 em relação ao mesmo período de 2020. Isso ocorreu devido às quedas na obtenção de peças de couro na maioria dos locais pesquisados.

Por fim, a Pesquisa Trimestral do Couro faz o levantamento de dados de unidades de coleta que realizam curtimento de, pelo menos, cinco mil unidades inteiras de couro cru bovino por ano. Por fim, vale ressaltar que o IBGE também divulgou nesta terça os resultados da pecuária nacional no primeiro trimestre

Leia Mais: Exportações de carne bovina caem no acumulado dos cinco primeiros meses do ano

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.