App espião ajudou FBI a desarticular rede criminosa internacional

Durante a operação, foram apreendidas oito toneladas de cocaína, 250 armas, carros de luxo e mais de US$ 48 milhões em várias moedas e criptomoedas em todo o mundo

0

O FBI, equivalente a Polícia Federal (PF) aqui do Brasil, prendeu mais de 800 suspeitos de crimes em todo o mundo após induzi-los a usar um aplicativo de mensagens criptografadas pela entidade. Segundo a corporação americana, a operação, realizada pela Austrália em conjunto com o órgão, encorajou os criminosos a baixarem o programa espião chamado ANOM.

Conheça o EllaLink: o primeiro cabo submarino de internet entre Brasil e Portugal

Ainda de acordo com o FBI, isso permitiu que a polícia monitorasse conversas sobre tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e até mesmo planos de assassinato. Entre os presos estão gangues de traficantes e pessoas com ligações com máfias.

Nesta quarta (09), o FBI divulgou que foram apreendidas oito toneladas de cocaína, 250 armas, carros de luxo e mais de US$ 48 milhões (R$ 240 milhões) em várias moedas e criptomoedas em todo o mundo.

Em entrevista à agência “Reuters”, o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, afirmou que a ação “desferiu um forte golpe contra o crime organizado” em todo o mundo. Além disso, segundo a agência policial da União Europeia Europol, a operação foi considerada como a “maior operação contra comunicação criptografada”.

Durante a operação, foram apreendidas oito toneladas de cocaína, 250 armas, carros de luxo e mais de US$ 48 milhões (R$ 240 milhões) em várias moedas e criptomoedas em todo o mundo. (Foto: reprodução)
Durante a operação, foram apreendidas oito toneladas de cocaína, 250 armas, carros de luxo e mais de US$ 48 milhões (R$ 240 milhões) em várias moedas e criptomoedas em todo o mundo. (Foto: reprodução)

O plano do FBI

Conforme as informações, o FBI passou a administrar uma rede de dispositivos criptografada chamada ANOM. O programa foi distribuído secretamente para criminosos através de informantes.

De acordo com a entidade, a ideia surgiu depois que o FBI percebeu uma grande demanda por parte das gangues de meios seguros de comunicação. Inicialmente, o aplicativo foi usado por pessoas importantes nas organizações,  o que deu confiança para que todos passassem a usá-la.

Ao todo, cerca de 12 mil dispositivos criptografados foram usados por cerca de 300 organizações criminosas em mais de 100 países. Juntos, eles proporcionaram que o FBI pudesse ler milhões de mensagens em “tempo real” descrevendo tramas de assassinato, planos de importação de drogas em massa e outros esquemas.

Leia também: Policial admite que sequestrou, estuprou e assassinou Sarah Everard

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.