Antártica: coronavírus chega ao último continente do planeta

1

O coronavírus chegou a Antártica, o último continente que até então estava livre da covid-19. Militares chilenos confirmaram os contágios nesta semana. Ao mesmo tempo, oficiais de saúde e do Exército limparam e colocaram em quarentena o pessoal de uma remota estação de pesquisa cercada por oceano e icebergs.

Pandemia na Antártica
Pesquisadores da Antártica concordaram em cancelar os programas com a pandemia em curso

Segundo as Forças Armadas do Chile, pelo menos 36 pessoas foram infectadas em sua base Bernardo O’Higgins. O número inclui 26 militares e 10 engenheiros civis que realizam trabalhos de manutenção na base. A estação de pesquisa com equipe permanente, operada pelo exército do Chile, fica perto da ponta de uma península no extremo norte da Antártica, com vista para uma baía geralmente pontilhada de icebergs.

Em comunicado, o Exército disse que o pessoal da base “já está isolado e constantemente monitorado” pelas autoridades de saúde em Magalhães, na Patagônia chilena. Nenhum dos infectados apresentou sintomas graves da doença.

As estações militares e de pesquisa na Antártica – entre as mais remotas do mundo – fizeram de tudo nos últimos meses para manter o vírus longe. Por exemplo, cancelaram o turismo, reduziram atividades e o número de pessoas ao fechar instalações. O Exército informou que os primeiros casos de covid foram relatados em meados de dezembro, quando dois soldados ficaram doentes.

Pandemia na Antártica

Embora o continente não tenha residentes permanentes, mil pesquisadores e outros visitantes permaneceram por lá durante o inverno, de acordo com o British Antarctic Survey (BAS), organização de pesquisa científica do Reino Unido.

Em março, enquanto o mundo tentava uma resposta rápida à disseminação da covid, os pesquisadores da Antártica concordaram em cancelar os programas. Eles perceberam que com a pandemia em curso poderia se tornar um grande desastre.

Com os ventos mais fortes e as temperaturas mais baixas do mundo, o continente do tamanho dos Estados Unidos e México juntos já era, sem dúvida, perigoso para os trabalhadores das 38 estações em todo o continente congelado.

Já a região de Magalhães, uma das áreas povoadas mais próximas da Antártica e ponto de decolagem de muitos barcos e aviões com destino ao continente, está entre as mais atingidas pela pandemia no Chile. Grande parte da área, que predomina pelos ventos frios vindos do oceano, montanhas e geleiras, está há meses sob restrições de quarentena.

Desde o início da pandemia, cerca de mil pessoas “navegaram com segurança no inverno do hemisfério sul sem incidentes”, informou a (BAS). Contudo, o aumento nas viagens de ida e volta para a região nos últimos meses intensificou o risco de infecção.
Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.