Aneel proíbe corte de energia de famílias de baixa renda inadimplentes

Medida vale para consumidores beneficiados pelo programa Tarifa Social

2

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu nesta sexta-feira (26), em reunião extraordinária, a proibição do corte de energia elétrica para famílias de baixa renda. A medida vale, especificamente, para consumidores beneficiados pelo programa Tarifa Social. A saber, o corte está proibido até 30 de junho, e todas as distribuidoras do país devem cumprir a medida no período.

Vale ressaltar que a medida proíbe o corte de energia, ou seja, o corte está suspenso nos próximos meses, mas não o pagamento. Isso significa dizer que os consumidores enquadrados nos requisitos exigidos e que não realizarem os pagamentos de contas atrasadas não terão sua energia cortada até o fim de junho. No entanto, após esse período, não havendo prorrogação da medida, as contas precisarão ser pagas para que não haja a interrupção do fornecimento de energia.

De acordo o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, a medida temporária visa ajudar famílias de baixa renda que estão sendo prejudicadas financeiramente pela pandemia. Em resumo, é uma forma de atenuar os impactos negativos que a pandemia da Covid-19 vem provocando no país. Ainda mais agora, que o Brasil enfrenta o pior momento da crise sanitária, com recordes de infecções e mortes e sem perspectiva de uma solução rápida.

 

Corte de energia

Além disso, Pepitone ressaltou que as distribuidoras receberam recursos de empréstimo bancário em 2020 para conter os impactos da pandemia. Nesse caso, os recursos tinham o objetivo, entre outras coisas, de suprir a falta de pagamento das contas de luz. Aliás, no ano passado, o índice de inadimplência ficou bastante alto, em 26%.

 

Por fim, vale lembrar que a Aneel também proibiu o corte de energia elétrica para consumidores de baixa renda em março de 2020. Inicialmente, a medida valeria até o final de julho, mas a Aneel prorrogou a proibição até 31 de dezembro. Na ocasião, a Aneel também autorizou as distribuidoras de energia a emitir as faturas com base no consumo médio dos 12 meses anteriores, ou na leitura feita pelo próprio consumidor. O objetivo era evitar que os técnicos das concessionárias entrassem nas casas.

 

Leia Mais: Vendas da Páscoa devem atingir menor valor desde 2008

5/5 - (1 vote)

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.