Alegando conteúdo de desinformação, canais do Youtube de origem chinesa somem

0

Além dos aplicativos, agora os canais de origem chinesa que foram criados no Youtube também estão sob a mira das empresas dos Estados Unidos. O Google, por exemplo, dono do Youtube, alegou desinformação por parte dos conteúdos veiculados e simplesmente tirou do ar 2.500 canais.

Eles foram excluídos permanentemente, com todos os vídeos cujo upload já tinha sido realizado. Não se sabe se a conta dos proprietários dos canais também foi excluída ou se eles continuam como usuários do site.

A alegação do Google pode, na verdade, ser apenas um pano de fundo para o embate que se vê entre os Estados Unidos e a China. Semana passada, o app chinês TikTok foi oficialmente proibido dentre os norte-americanos, depois de passar por análise longa do governo e da sua equipe de segurança.

Já se esperava que outros aplicativos, criados pelos chineses, pudessem ser proibidos nos Estados Unidos, mas a retirada de canais do Youtube do ar pegou muitos internautas de surpresa.

Caso isso tenha mesmo relação com o embate travado entre o presidente Donald Trump e a China, esse seria um indício de toda a influência que estaria sendo disseminada contra o país oriental.

Google declarou que havia conteúdo político

Uma das justificativas do Google para que os milhares de canais do Youtube saíssem do ar é o conteúdo político. Porém, sabe-se que há diversos canais no site que se dedicam a essa temática e que não saem do ar por causa disso.

Além disso, especialistas fizeram uma pesquisa em todos os canais chineses que desapareceram e ficou claro que a temática “política” era tratada por pouquíssimos.

Huawei também já foi alvo dos EUA

A empresa de tecnologia Huawei era uma das mais recentes vítimas chinesas. Afinal, o governo dos EUA decretou que as empresas norte-americanas não poderiam usar peças da Huawei e que o seu sistema 5G de Internet estava vetado no país, o que aconteceu um pouco depois no Reino Unido também, por pressão de Trump.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.