Adolescente é morto durante operação no Rio

Os familiares ficaram algumas horas sem saber o paradeiro do adolescente, e afirmam que só depois foram informados de que ele estaria no hospital, onde foi encontrado já sem vida

0

Um adolescente foi morto durante uma operação da Polícia Militar (PM) no morro do Campinho, Zona Norte do Rio de Janeiro, no domingo (21). De acordo com a família de Ray Pinto Faria, de 14 anos, ele estava na porta de casa, jogando no celular, quando foi abordado e levado por policiais militares, que participavam da ação na região.

Leia também: PM é linchado após suspeita de estuprar adolescente com síndrome de Down

Ainda segundo a família do jovem, eles ficaram algumas horas sem saber o paradeiro do garoto, que foi encontrado em um hospital, já sem vida. “Na UPA de Campinho, um maqueiro que nos informou que três pessoas feridas de um confronto policial deram entrada no Salgado Filho. Quando eu fui reconhecer o corpo, vi que ele estava com dois tiros, um no abdômen e outro na coxa“, contou um primo de Ray em entrevista ao Bom dia Rio, da “Rede Globo”.

Adolescente é morto durante operação no Rio
Os familiares ficaram algumas horas sem saber o paradeiro do adolescente, e afirmam que só depois foram informados de que ele estaria no hospital, onde foi encontrado já sem vida. (Foto: reprodução)

Ainda de acordo com o primo do garoto, o caso aconteceu por volta das 6h da manhã. Na ocasião, Ray estava na porta de casa, jogando um jogo pelo celular. “Não tinha nada demais. O Ray não estava armado, não tinha rádio, não estava nada. Ele estava apenas sentado pegando o wi-fi”, disse o primo.

Morte do adolescente causa revolta 

Segundo o primo da vítima, a morte do garoto, que era conhecido na região por trabalhar carregando compras de supermercado, gerou revolta em amigos e familiares, que protestaram em uma importante avenida da comunidade, na segunda-feira (22).

No protesto, um ônibus foi danificado e um motorista agredido. Por conta disso, a PM precisou intervir e acabou levando alguns manifestantes para a delegacia. Todavia, nem isso acalmou os ânimos das pessoas, que queimaram outro veículo à noite.

Mais acusações contra os PMs 

Além de serem acusados de terem matado o adolescente, moradores da região e também a família do garoto, afirmam que os policiais retiraram câmeras de segurança de uma padaria e que teriam filmado à abordagem aos manifestantes.

Em nota, a a assessoria de imprensa da PM confirmou que houve operação policial na região e informou que dois indivíduos foram localizados feridos e levados para o Hospital Municipal Salgado Filho, onde morreram, sem citar o adolescente. Além disso, até o momento, a corporação não se manifestou sobre a suposta retirada de câmeras de segurança.

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Instagram para acompanhar todas as notícias!

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.