15 milhões de brasileiros podem receber vacina contra Covid-19 em janeiro

No entanto, o diretor do Instituto Bio-Manguinhos da Fiocruz, Maurício Zuma, ainda não dá como certo esse prazo e que é necessário uma certa cautela com relação a prazos.

1

Diante da necessidade de uma vacina contra a Covid-19, o Ministério da Saúde anunciou na quarta-feira (5) que até o final de dezembro, 15,2 milhões de doses produzidas pela Universidade de Oxford serão distribuídas no Brasil.

Uma vacina eficaz e segura contra o novo coronavírus é considerada por especialistas da área de saúde como a principal saída para a pandemia da COVID-19 e por isso todos os esforços estão sendo tomados para que essa imunização ocorra o mais rápido possível.

Em reunião com a Comissão Externa da Câmara dos Deputados, o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Correia, deu detalhes sobre como será a estratégia nacional de imunização de brasileiros quando a vacina contra a COVID-19 estiver disponível no país.

Saiba mais sobre a vacinação em 2021

15 milhões de brasileiros podem receber vacina contra Covid-19 em janeiro
15 milhões de brasileiros podem receber vacina contra Covid-19 em janeiro – Foto: Pixabay

Segundo o secretário, as primeiras 30,4 milhões doses do imunizante devem chegar em dois lotes, sendo o primeiro deles com 15,2 milhões em dezembro e a mesma quantidade em janeiro.

“Com o avanço da ciência, acreditamos que, em dezembro, talvez, já passemos o ano novo de 2021 com pelo menos 15,2 milhões brasileiros vacinados para COVID-19 e possamos juntos construir essa nova história da saúde pública do nosso país”.

No entanto, o diretor do Instituto Bio-Manguinhos da Fiocruz, Maurício Zuma, ainda não dá como certo esse prazo e que é necessário uma certa cautela com relação a prazos.

“Tem um grau de incerteza em relação a isso, por isso, a gente está sendo bastante cauteloso. Nosso compromisso é buscar a confirmação desses cronogramas para poder passar para o Ministério da Saúde a para a Comissão [externa da Câmara que acompanha ações contra a pandemia do novo coronavírus] qual é nossa expectativa concreta de produzir e liberar as doses da vacina”.

Testes da vacina no Brasil estão na fase 3

A vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, e pela farmacêutica AstraZeneca, com testes nacionais feitos pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), ainda está na fase 3 dos estudos clínicos.

Ou seja, ainda estão sendo definidos critérios como duração da imunidade, sorologia adequada e quantidade de doses.

Entretanto, a empresa Zuma acredita que o primeiro lote deve ser distribuído a partir de janeiro de 2021.

Pessoas do grupo de risco serão os primeiros a receber a vacina contra a Covid-19

Segundo o secretário do Ministério da Saúde, a probabilidade é que o país produza uma média de 100 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 no país.

Mas, nesse primeiro momento só serão imunizados as pessoas que fazem parte do grupo de risco, como idosos e pacientes que tenham alguma doença grave, como cardiopatia e obesidade.

Além deles, profissionais de saúde terão prioridades nos primeiros meses de vacinação contra o novo coronavírus.

Em seguida, após a distribuição dos dois primeiros lotes, outras 70 milhões de unidades da vacina de Oxford serão disponibilizadas, de forma gradativa, a partir de março de 2021, podemos assim chegar a população em geral.

1 comentário
  1. […] O Ministério da Saúde anunciou na quarta-feira (5) que até o final de dezembro, 15,2 milhões de doses produzidas pela Universidade de Oxford serão distribuídas no Brasil. […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.